Voltar

Informativo Diário

10/08/2021

PREÇOS DA SOJA OSCILAM DE FORMA MISTA E MERCADO INICIA A SEMANA CALMO NO PAÍS

Na segunda-feira, o mercado interno de soja iniciou a semana calmo nas diversas praças de negociação do país. Iniciando a semana com volatilidade, os preços físicos da commodity oscilaram de forma mista e somente lotes pontuais foram comercializados ao longo do dia no país. Em Chicago, a soja flutuou entre os territórios positivo e negativo, fechando com ligeiros ganhos no vencimento agosto/21. Já o câmbio, registrou avanço significativo ao longo da sessão, chegando a encostar no patamar de R$ 5,30 por dólar, mas perdeu força e também encerrou com leve alta. Com isso, os agentes permanecem retraídos e somente negócios envolvendo volumes moderados foram reportados.

RS: cotações mistas no estado em um mercado calmo. Na região portuária do estado, para embarque e pagamento em meados de setembro/21, indicações de compra na faixa de R$ 171,50 por saca CIF, enquanto no spot a indicação fica em R$ 170,50. No interior do estado, indicações até R$ 167 por saca FOB para embarque e pagamento em meados de setembro.

PR: mercado pouco movimentado e preços nominais no estado. Para embarque imediato e pagamento em meados de setembro deste ano, indicações de compra entre R$ 172 e R$ 172,50 por saca CIF na região portuária. Na região oeste, indicações de compra na faixa de R$ 168 por saca para embarque imediato e pagamento em meados de agosto deste ano, porém sem contrapartida de venda.


CHICAGO (CME/CBOT) Na Chicago Board of Trade (CME/CBOT), os contratos futuros do complexo soja fecharam mistos no grão e no óleo, e em alta no farelo na segunda-feira. Nas posições spot, ganhos de 0,80% no grão, de 0,22% no farelo e de 3,64% no óleo. No melhor momento do dia, o contrato agosto/21 do grão atingiu a máxima de US$ 14,4375 por bushel. Ao final da sessão, trocou de mãos a US$ 14,3375 por bushel. Por volta das 13h (Brasília), a soja operava com ganhos de até 12 pontos nos principais vencimentos. O vencimento novembro/21 operava com perdas de 0,50 ponto, com negócios a US$ 13,4375 por bushel.

• O retorno das chuvas no Meio Oeste dos Estados Unidos deflagrou o movimento de vendas após três dias de ganhos. • A preocupação em torno do avanço da variante delta do coronavírus e seu impacto sobre a recuperação da economia mundial atingiu o mercado financeiro. O petróleo caiu forte e o dólar subiu. Este cenário também impactou a pressão sobre as cotações da soja.

• O mercado avaliou hoje indicações em torno do comportamento da demanda pela soja americana. As inspeções de exportação norte-americana de soja chegaram a 114.253 toneladas na semana encerrada no dia 5 de agosto, conforme relatório semanal divulgado pelo Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA). O mercado esperava o número em 200 mil toneladas. Na semana anterior, as inspeções de exportação de soja haviam atingido 184.988 toneladas.

• O USDA anunciou ainda nova venda de 104 mil toneladas de soja em grão para destinos não revelados por parte de exportadores privados. Foi o terceiro dia seguido de operações. Além disso, o governo chinês divulgou os dados sobre as importações daquele país.

• As importações de soja em grão pela China no mês de julho somaram 8,67 milhões de toneladas. Frente a julho do ano passado, caiu 14,1%, quando atingiu 10,09 milhões de toneladas. No acumulado do ano, as importações chinesas somam 57,63 milhões de toneladas, alta de 4,5% sobre igual período do ano anterior.

• O mercado aguarda agora o relatório sobre as condições das lavouras americanas, que será divulgado no final do dia pelo USDA. O mercado espera que o índice de lavouras em boas a excelentes condições permaneça em 60%.

• Os agentes começam a se posicionar frente ao relatório de agosto do USDA, que será divulgado na quinta, 12. O sentimento do mercado é de corte nas previsões de safra e produtividade dos Estados Unidos.


CHINA A balança comercial da China registrou superávit de US$ 56,60 bilhões em julho, após o saldo positivo de US$ 51,50 bilhões em junho, segundo dados da Administração Geral das Alfândegas do país. Os analistas esperavam superávit de US$ 54,0 bilhões. As exportações da China subiram 19,3% em julho em base anual, após a alta de 32,2% de junho. Analistas esperavam avanço de 20,0% nas exportações. Por sua vez, as importações chinesas subiram 28,1% em julho na comparação com o mesmo mês de 2020, após a alta de 36,7% em junho. A previsão era de alta de 31,7%.


CÂMBIO O dólar comercial opera em alta, acompanhando o movimento do exterior, onde investidores demonstram preocupação com a economia mundial após a China aplicar restrições à circulação, na tentativa de evitar a disseminação da covid-19 pelo país, e divulgar dados mostrando crescimento abaixo do previsto nas exportações e importações de julho.


Fonte: CMA Group - Safras & Mercado.





Rod. BR 373 - km 400 | Candói - PR | Brasil - CEP: 85.140-000
© 2021 | Todos os Direitos Reservados. Ultramax