Voltar

Informativo Diário

13/08/2021

EM DIA DE USDA, SOJA TEM SESSÃO VOLÁTIL E NEGÓCIOS MODERADOS REPORTADOS NO PAÍS

Na quinta-feira, o mercado interno de soja permaneceu calmo nas principais praças de negociação do país. Em dois momentos distintos, a commodity iniciou o dia com preços estáveis e pouca oferta no físico. Após a divulgação do relatório do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA), Chicago passou a operar com ganhos acentuados, mas perdeu força e encerrou com ligeiros ganhos. Com isso, no melhor momento do dia, as cotações domésticas avançaram e negócios moderados foram registrados no país. Os preços dos fretes oscilaram de forma mista na semana, com a maior queda sendo nos fretes com origem na região de Rondonópolis.

RS: preços inalterados em um mercado pouco ofertado. Na região portuária do estado, para embarque e pagamento em meados de setembro/21, indicações de compra na faixa de R$ 172,50 por saca CIF, enquanto no spot a indicação fica em R$ 170,50. No interior do estado, indicações até R$ 167,50 por saca FOB para embarque e pagamento em meados de setembro.

PR: negócios escassos e preços de estáveis a mais baixos no estado. Para embarque imediato e pagamento em meados de setembro deste ano, indicações de compra entre R$ 170,50 e R$ 171 por saca CIF na região portuária. Na região oeste, indicações de compra na faixa de R$ 166 por saca para embarque imediato e pagamento em meados de agosto deste ano, porém sem contrapartida de venda.


CHICAGO (CME/CBOT) Na Chicago Board of Trade (CME/CBOT), os contratos futuros do complexo soja fecharam mistos no grão, no farelo e no óleo na quinta-feira. Nas posições spot, perdas de 0,28% no grão e de 0,03% no óleo. O farelo encerrou estável. No melhor momento do dia, o contrato agosto/21 do grão atingiu a máxima de US$ 14,2875 por bushel. Ao final da sessão, trocou de mãos a US$ 14,0150 por bushel. Por volta das 13h (Brasília), a soja operava com ganhos de até 12,50 pontos nos principais vencimentos. O vencimento novembro/21 operava com ganhos de 8,50 pontos, com negócios a US$ 13,4850 por bushel.

• Após operar em baixa na parte da manhã, devido ao clima favorável nos Estados Unidos, o mercado mudou de direção com o relatório do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA), que indicou safra americana menor que o esperado. Mas perdeu força e fechou abaixo das máximas.

• O relatório indicou que a safra norte-americana de soja deverá ficar em 4,339 bilhões de bushels em 2021/22, o equivalente a 118,08 milhões de toneladas. O mercado esperava safra de 4,360 bilhões ou 118,66 milhões. Em julho, a indicação era de 4,420 bilhões de bushels ou 120,3 milhões de toneladas.

• A produtividade foi cortada de 50,8 bushels por acre para 50 bushels, enquanto o mercado estimava 50,3 bushels por acre.

• Os estoques finais estão estimados em 155 milhões de bushels ou 4,22 milhões de toneladas. O mercado apostava em carryover de 151 milhões ou 4,11 milhões de toneladas. A previsão não se alterou na comparação com o relatório de julho.

• O USDA indicou esmagamento em 2,205 bilhões de bushels e exportação de 2,055 bilhões. Em julho, os números eram de 2,225 bilhões e 2,075 bilhões, respectivamente.

• Em relação à temporada 2020/21, o USDA elevou a previsão para os estoques de passagem de 135 milhões de bushels para 160 milhões - de 3,67 milhões para 4,54 milhões de toneladas. O mercado apostava em número de 147 milhões de bushels ou 4 milhões de toneladas.

• Os números para as exportações semanais americanas acima do esperado e o anúncio de novas vendas também ajudou a sustentar o mercado.


CHINA A China rebaixou sua estimativa pra as importações de soja em 2020/21. Segundo relatório mensal do ministério da agricultura do país, houve uma queda nas margens de esmagamento. As importações chinesas são estimadas em 98,6 milhões de toneladas, baixa de 1,84 milhão de toneladas ante o estimado no mês passado. O processamento da oleaginosa vem caindo desde julho. Os importadores também atrasaram a compra, com a expectativa de que os preços caiam com a safra nova em resposta a uma ampla safra dos Estados Unidos. A China cortou suas projeções para o volume de esmagamento de soja em 2020/21, por uma menor razão de farelo usada na ração, com a redução das margens de suínos desde março.


CÂMBIO Em dia marcado pela valorização, o dólar comercial fechou cotado a R$ 5,2560, com alta de 0,68%. Os principais fatores para isso, foram a divulgação de tímidos dados sobre a economia dos Estados Unidos, e principalmente ruídos internos como a dificuldade para a aprovação de reformas.


Fonte: CMA Group - Safras & Mercado.





Rod. BR 373 - km 400 | Candói - PR | Brasil - CEP: 85.140-000
© 2021 | Todos os Direitos Reservados. Ultramax